quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Culturanja & Jornal Umuarama Ilustrado

Postado no blog do Culturanja...

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009


Culturanja, 29 de Novembro de 2009.

Página publicada originalmente no Jornal Umuarama Ilustrado, de Umuarama, Paraná, no dia 29 de Novembro de 2009. Para ler as edições da antiga Cultura & Arte, clique aqui.

Angela Russi Frasquete :
- Educação

Caroline Guimarães Gil :
- Acadêmicos de Publicidade e Propaganda festejam evento de Curta-Metragens [Mostra de Filmes Minuto e Meio]

Tiago Knoll Inforzato :
- Ou você pode ir à pé.
- Ver-te Amanhecer [Poesia]

domingo, 29 de novembro de 2009

Ainda...

"E ainda me sobra vontades
Em meio a tantas privações"



domingo, 22 de novembro de 2009

Infinito Particular




 Infinito Particular

Eis o melhor e o pior de mim
O meu termômetro, o meu quilate
Vem, cara, me retrate
Não é impossível
Eu não sou difícil de ler
Faça sua parte
Eu sou daqui, eu não sou de Marte
Vem, cara, me repara
Não vê, tá na cara, sou porta bandeira de mim
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular
Em alguns instantes
Sou pequenina e também gigante
Vem, cara, se declara
O mundo é portátil
Pra quem não tem nada a esconder
Olha minha cara
É só mistério, não tem segredo
Vem cá, não tenha medo
A água é potável
Daqui você pode beber
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Crescer...

Seria isso, bom ou ruim?

A cada instante que uma parte de mim se abre a algo novo, não há retorno, eu não posso mais voltar a minha inocência em dizer que eu não sabia e/ou não notei. Implica em escolher, e a escolha gera angustia. Porque quando você escolhe uma coisa, você renuncia as demais opções. Implica num medo em arriscar. O que será o certo? O que será o errado?

Olhar para o céu, se tornou algo cada vez mais difícil. Pois o tempo me toma o espaço, e o pouco do que me resta, tento fazer o possível. O tempo tornou-se tão contagioso, como um viruz que vai corroendo tudo o que toca.

Quanto mais eu cresço, percebo que as responsabilidades aumentam. E as exigências não só de fora são maiores, como também as minhas se proliferam igualmente.

Ser implica em expor-se a alguma coisa. Ser unicamente pra si mesmo não é ser. Ser é uma coisa que vai de ti pra ti, e de ti para o mundo todo. E isso talvez tenha me causado grandes reflexões, e grandes questões...

Houve uma época em que eu não tinha a mínima noção de ser, mas os outros eram por mim, e me faziam assim.
Noutra época, eu tinha tanta certeza de que eu era, que pouco me importava ser para os outros, ou pedir auxilio e alguma ajuda. Bastava viver por mim, e me construir.
Hoje eu descobri que eu não sei ser por mim e nem para os outros.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

COMEÇA O FEITU!!

Matéria do site da UNIPAR.


23/10/2009
PROGRAMAÇÃO ATRATIVA PARA 4° FEITU, QUE COMEÇA NESTA SEGUNDA

Com dezessete apresentações de dança, coral, música e teatro, o Festival Intercampi de Talentos Universitários promete agitar a UNIPAR

Estudantes e a comunidade poderão apreciar as apresentações dos projetos de arte e cultura desenvolvidos na Universidade Paranaense – UNIPAR, no 4° FEITU (Festival Intercampi de Talentos Universitários), que será realizado em duas fases: de segunda a sexta da próxima semana e, em novembro, de 9 e 10.

As apresentações, dos grupos composto por alunos que integram o PIBIA (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Artística), começam com três espetáculos dos estudantes do Campus de Cianorte.

Abre a noite as apresentações ‘MPB’, do projeto Por todo Canto e ‘50,60, Em algum lugar do passado’, da Cia. Unipar de Dança (às 19h30). Em seguida, entra em cena o projeto O Teatro nos Caminhos da Literatura, com a peça ‘O noviço’ (às 21h).

Na terça, a plateia será contemplada com apresentações dos grupos do Campus de Cascavel: às 19h30, o projeto Teatro na Universidade apresenta a peça ‘O retrato de Dorian Gray e o Reino Encantado das Águas da vida’, e, às 21 horas, o projeto de Dança Unipar encena ‘Passion’.

Na quarta, será a vez dos integrantes dos grupos do Campus de Toledo mostrarem seus talentos, com espetáculos de canto, dança e teatro. O projeto Canta Unipar apresenta ‘Um pouquinho do meu Paraná, um pouquinho de todo lugar’. Depois, a Companhia Unipar de Dança exibe ‘Metade de Mim é amor’ e a Unipar Companhia de Teatro encerra a noite com o espetáculo ‘A Cantora Careca’.

Na quinta, o palco será comandado pelos grupos do Campus de Paranavaí. Com apresentações musicais, abrem a noite os grupos Vivendo na Flauta...Doce e Canto e Encanto. Em seguida, o projeto Ação Teatral apresenta a peça ‘As aves – comédia de Aristófanes’.

Encerram a semana, na sexta, os grupos do Campus de Francisco Beltrão, que prometem encantar o público com as apresentações: ‘Brasil em Tom Maior’, do projeto Musical Tom Maior; ‘A2’, da Cia. Unipar de Dança; e ‘A casa de Bernalda Alba’, do grupo de Teatro Priene.

Com os grupos do Campus de Umuarama, a programação do evento retorna em novembro. Na segunda (9), se apresenta a ‘Arquibanda’, seguida do Coro Unipar, com o espetáculo ‘Coração Nordestino’. Na terça (10), a Companhia Cênica Unipar comanda o palco com ‘O pequeno príncipe’.

Segundo o coordenador multicampi de Arte e Cultura, Alessandro Antônio Silva, o objetivo do Festival é oportunizar os estudantes a participar de eventos culturais: “Dentre as atividades que são propostas no período de formação acadêmica como pesquisa, extensão, os projetos de arte e cultura complementam essa formação. Prestigiando as apresentações, os estudantes entram em contato com novas referências estéticas”.

O projeto é realizado pela a DEGCD (Diretoria Executiva de Gestão da Cultura e Divulgação). Todas as apresentações serão com entrada gratuita e valem horas extracurriculares. Os convites podem ser retirados na Diretoria de Arte e Cultura. Mais informações pelo telefone 3621-2828, ramal 1404.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Saudade




Tom Jobim
Composição: Tom Jobim e Vinícius

Vai minha tristeza,
e diz a ela que sem ela não pode ser,
diz-lhe, numa prece
Que ela regresse, porque eu não posso Mais sofrer.
Chega, de saudade
a realidade, É que sem ela não há paz,
não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai
Mas se ela voltar, se ela voltar
Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei
Na sua boca,
dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos, e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio de você viver sem mim.
Não quero mais esse negócio de você longe de mim...

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

NESTA QUINTA TEM APRESENTAÇÃO DE TEATRO DO ‘AÇÃO CULTURAL’


Matéria do site da UNIPAR.



Com edições de dança, música, teatro e coro, projeto visa difundir a arte e cultura. No último domingo, a comunidade teve a oportunidade de assistir a apresentações da banda Nevilton e Rafael Castro e os Monumentais. Nesta quinta, tem apresentação da peça ‘O Pequeno Príncipe’

A comunidade umuaramense tem a oportunidade de apreciar diversas apresentações culturais realizadas pela Universidade Paranaense – UNIPAR, via a DEGCD (Diretoria Executiva de Gestão da Cultura e Divulgação), programadas pelo projeto ‘Ação Cultural Unipar’.

A extensa programação começou em setembro, com o espetáculo
do grupo ‘Identidade Teatral’. No último domingo, o teatro Neiva Pavan Machado Garcia foi palco para apresentações de música, com a banda ‘Nevilton e Rafael Castro e os Monumentais’.

O projeto segue com diversas apresentações. Nesta quinta, o grupo de teatro da UNIPAR, composto por estudantes que integram o PIBIA (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Artística), encena a peça ‘O Pequeno Príncipe’, às 14h, com reapresentação no dia 23, no mesmo horário.

“Nosso objetivo é dar acesso à cultura e à arte. O Teatro será aberto para as escolas, oportunizando aos alunos conhecerem um espaço físico relacionado à cultura e às apresentações realizadas pelos bolsistas do PIBIA”, diz o coordenador multicampi de arte e cultura, professor Alessandro Antonio Silva.

Em novembro será realizado o projeto Ação Cultural – edição Dança, em que será apresentado espetáculo do Balé do Teatro Guaíra (nos dias 13 e 14/11) e da Companhia Unipar de Dança (nos dias 19 e 20/11), com proposta de criação irreverente na dança contemporânea.

As apresentações têm entrada gratuita. Os convites podem ser retirados na Diretoria de Cultura e Divulgação e valem horas culturais para o currículo dos acadêmicos. Mais informações pelo telefone 3621-2828, ramal 1404.

Espero poder prestigiá-los todos os dias de apresentação! Sucesso!

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

"Fizeram você trocar seus heróis por fantasmas?"




Estava ouvindo a música "Pink Floyd-Wish You Were Here" e nela, contém esta frase "Fizeram você trocar seus heróis por fantasmas?"

Frase que muito me chamou a atenção. Pois, quantas vezes já nos deparamos em situações em que estamos com total credibilidade, com total vivacidade, entusiasmo em enfrentar determinadas situações, e algumas pessoas nos vem, e só nos falam dos "fantasmas" das situações? Vamos nos desanimando, perdendo aquele sentido que até então tínhamos atribuído com tamanha força e esperança.

Existem diversos momentos em que nos deparamos com nossos fantasmas, sejam eles interiores ou exteriores. E precisamos não desistir dos nossos heróis. Pois são eles que irão fazer dar prosseguimento em nosso caminho.

Quando se deparar com alguém que só fala em fantasmas, não se assombre, talvez, com esta pessoa, aconteceu a mesma coisa, só lhe falaram de fantasmas, problemas intermináveis.

Mas, eu, não vou deixar de falar-lhes de heróis!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Cultura & Arte no Ilustrado - Culturanja!

Pessoal, estive fora ai por um tempo. Semana de prova na Universidade, portanto um pouco esquecido por aqui.

Mas voltei para colocar em dia as últimas matérias, resenhas e poesias da página do Culturanja, no jornal Umuarama Ilustrado.

Segue a baixo os links para acesso:

04.10.09


27.09.09


20.09.09


13.09.09

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Jovens Autores na RPC!


Pessoal, segue ai uma entrevista que eu e o pessoal do NEVILTON deu para a RPC, sobre jovens autores!



Confiram:

domingo, 20 de setembro de 2009

O que eu escolhi torna-se o que eu sou?



Penso que, sim e não.
Sim, pelo fato de que você se afirmou pelo o que é no momento da escolha, pela ação optada. Sendo que, as impressões deixadas às pessoas a sua volta, e talvez a si mesmo, será pela atitude escolhida. A imagem do que você é será confirmada pela ação sugerida.
E não, pelo fato de que você é um ser dinâmico, ou seja, em constantes mudanças, e não pode ser simplesmente catalogado como sendo especificamente sendo pertencente a um “estigma”, e, portanto suscetível a variações.
É como tentar encontrar nome para todas as cores. Há as cores primárias e secundárias, mas também há assim por diante, as demais. E ainda há aquelas que estão sendo ainda intituladas. E uma cor, quando misturada a outra se modifica e assim sucessitivamente.
Há teóricos que afirmam, que somos os responsáveis pelas escolhas das cores que estão a nossa volta, há quem diga que nascemos unicamente com uma cor e morreremos com ela.
Eu, particularmente falando, acredito na mudança. Se eu não acreditasse, eu desistiria de tentar muitas coisas. Isto não significa que uma cor vermelha ao misturar com outra, deixará sua essência de vermelho. Mas sua essência, seu Eu em vermelho, continuará a fluir. Mas como lidar com o meu Eu?
Posso escolher as combinações que irei fazer, e isso irá repercutir não somente na minha vida, como em todas as outras que estão a minha volta. Portanto, sou responsável pelas cores que irei escolher, e mais ainda, sou responsável por descobrir o meu Eu, e aprender a lidar com ele.
Conhecimento implica em realizar uma escolha melhor. Quando eu CONHEÇO, EU ESCOLHO, e NÃO SOU ESCOLHIDA. Eu passo a ser o centro de mim, e não deixo que a escolha seja o centro. Quando eu conheço, eu passo a ser o comando, passo a condizer comigo mesmo e fazer jus as minhas inferências, aforismos, passo a tomar posse de minhas contradições e incoerências, mas estarei consciente delas. Não que elas sejam ruins, ou boas, apenas são.
Se eu contar uma história... Digamos para exemplificar, bem curta: havia uma pessoas com uma faca na mão. Essa frase é muito abrangente, e você poderia dar diversos sentidos há ela. Um deles seria que esta pessoa poderia ser alguém perigoso, representando ameaça, outro, seria apenas uma mulher, por exemplo, fazendo o almoço na cozinha, e assim por diante. Quando se tem conhecimento, você sabe dar seguimento, seja qual for a escolha, estará pertinente consigo e com o mundo. Estará decidido, e mais seguro.
Quando não se conhece, as escolhas podem ser vazias, sem sentido, e pode lhe passar insegurança durante muito tempo se questionar: será? Será que eu fiz a escolha certa?
Só que, quando relato isso, não estou querendo dizer, que esse processo é investigativo e tático, muito pelo contrário, que é um processo natural e espontâneo.

Mesmo obtendo conhecimento, poderá falhar?

Sim, pois não possuímos o controle absoluto. Mas posso lhe assegurar, que não irá se sentir tão arrependido, do que na primeira instância, a qual iria escolher de forma aleatória.

“Não me é sugestivo a sua cor, mas sim, o que pinta com ela” C.G.G
“Nenhuma cor é pior ou melhor que a outra, cada uma faz jus a sua funcionalidade para compor a obra”.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Uma chave num molho perdido...



Me sinto uma chave
Não sei o que vou abrir
Nem se sirvo para abrir
Nem se sou para abrir

Talvez eu seja pra trancar
Talvez eu seja pra fechar
Talvez eu volto nunca mais

Mas, quem sabe eu seja porta
Que não sabe o que faz.

sábado, 29 de agosto de 2009

Remover-se para vêr-se



Remova a sua máscara
Desapoie os seus olhos
E assista-se sendo
Quem eu serei
Se eu deixar ser-me?

A máscara perguntou-me
Quem eu gostaria de ser
E eu perguntei a ela:
Quem você me deixaria ser?

Ninguém me respondeu
Quem eu precisava ser
Ninguém me respondeu
Quem eu poderia ser

Na confusão:
Eu a coloco
E a retiro
A coloco
E a retiro

Então, eu devo colocar-me nela?
Ou devo deixar ela se colocar em mim?
Mas ninguém me responde:
Quem eu devo ser?
Devo deixar-me ser?


Caroline Guimarães Gil

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Sempre cheia




Vivi muita coisa nesse tempo.

Embora eu tenha coisas para contar, não sinto vontade de contar, sinto vontade de viver apenas.

E me sinto completamente sempre cheia, plena.

domingo, 23 de agosto de 2009

Colecionar-me



Não me basta ser uma
É preciso cair em cima de várias de mim
Pra que eu me colecione
Cole num pedacinho de papel, no final do dia

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Noite de autógrafos do Projeto ‘Vire a Página’



Hoje acontecerá no restaurante Buffet Kaskata a noite de autógrafos da escritora Angela Russi, que na oportunidade lança os cinco livros que formam a Coleção “Vire
a Página”, um dos principais projetos do Rotary Club Umuarama, com o qual mobilizou
o Distrito 4630 do Rotary Internacional e que está em fase de tradução para o inglês com o objetivo de ser distribuído em outros países. O evento reunirá as mais importantes autoridades rotárias paranaenses, além de personalidades e instituições
que atuam na recuperação de crianças portadoras de câncer. Falar sobre câncer
não é uma tarefa fácil para ninguém. Imaginem então a dificuldade de se falar sobre o
assunto com uma criança. Ao passar pelo maior desafio de sua vida – a luta contra um
câncer de intestino –, a pedagoga umuaramense Angela Russi teve a idéia de escrever
um livro que tentasse explicar a doença para as crianças que faziam tratamento
na Uopeccan, em Cascavel. Veio então o primeiro livro, que se chamou “Químio, o
Caçador”, que narra a trajetória de um menino que descobre ter leucemia e é socorrido
pelo super-herói que caça e destrói as células cancerígenas. Depois do primeiro
livro, Angela resolveu então continuar trilhando pelos caminhos da informação,
foi quando nasceu o “Projeto Vire a Página”, um pacote especial em forma de sacola
de papel, contendo cinco livros: “Eu, no Espelho”, “A Vitória Régia”, “A Árvore Careca” e “O Anjo Querubim”, além do “Químio, o Caçador”. A publicação é voltada
para crianças de 5 a 12 anos que tenham ou não câncer. O objetivo é apresentar a
doença, os tratamentos e seus efeitos colaterais, além de explicar que, mesmo
sendo desconfortável, o tratamento é necessário para a cura. Por meio de uma linguagem lúdica, o livro ainda incentiva as crianças a terem esperança, confiança na vida e no futuro, o que colabora, e muito, com a recuperação. “Este é um projeto
feito com muita atenção e carinho, pois fala às crianças sobre um assunto muito sério – o câncer –, sem esconder nada e mostrando que há formas de vencê-lo. E o primeiro
passo é acreditar”, conta Angela, que realizou em julho o prélançamento da coleção
em Maringá, em um evento coordenado pelo Rotary Internacional. De acordo com Angela Russi, todo o dinheiro arrecadado com a venda dos livros vai para a Uopeccan (Hospital do Câncer de Cascavel), que é a mantenedora do Vita Vitória, casa de apoio aos familiares das pessoas que tem câncer, inaugurada em Umuarama no ano passado. “Cada coleção com os cinco livros custa R$ 15, um preço super acessível. Com o apoio de empresários, profissionais liberais, entidades de classe e da população em geral
nós podemos fazer a diferença e contribuir com uma causa das mais nobres”, destaca.


Quem quiser adquirir os livros da coleção “Vire a Página” pode ligar para o telefone
(44) 9131-3660.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Agora somos todos Culturanja!

Segue informação do blog do Culturanja!

A página Cultura & Arte, do Umuarama Ilustrado, agora se chama Culturanja e é mais um membro do nosso corpo cultural. Portanto será publicada aqui todas as semanas. Para ler as antigas edições, clique aqui.

Abaixo está a página publicada originalmente no Jornal Umuarama Ilustrado, de Umuarama, Paraná, no dia 09 de Agosto de 2009.

Editorial:
- Agora somos todos Culturanja! [por Tiago Knoll]

Poema:
- Rumores do Fim de Tarde [por Tiago Calixto]

Crônica:
- Família da Atualidade: Desordem com que Ordem? [por Caroline G. Gil]

Homenagem:
- Ele mostrou como se dança o Baião. E ninguém mais esqueceu (20 anos da morte de Luiz Gonzaga) [por Tiago Knoll

Clique para conferir!


Com grande honra que eu digo estar participando deste grupo!

domingo, 16 de agosto de 2009

Meu pulo final




Só sei uma coisa:

Achei que...

E sinceramente...

Eu esperei que...

E dai...

Enfim,

Tchau.

Vou dar meu pulo final.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Cansaço pleno: nenhuma palavra.



Estou um pouco vazia porque escrevi muito por hoje e então abri a página do blog para escrever, fiquei olhando para a parede na minha frente, buscando alguma coisa para contar. Mas, fiquei num vazio prazeroso, um vácuo confortante.

(...)

Mesmo agora, parei do nada e me perdi de novo no vazio.

(...)

Acho que fiquei em torno de um minuto assim.

Mas é porque estou cansada, mas um cansaço bom, de quem aproveitou muito bem o dia. Um cansaço que dá gosto de realmente sentir.

Eu vou terminar este post desejando este mesmo cansaço que sinto agora, porque ele é completo e não precisa de nenhuma palavra.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Hoje é dia de...?



"Porque há o direito ao grito. Então eu grito". C.L.


Há dias que é preciso gritar. Há dias que é preciso assoviar. Há dias que é preciso rosnar, morder, latir, ladrar, murmurar, sorrir, comer, lamber... Mas hoje. É dia de simplesmente nada dizer, nada fazer, nada colaborar, nada esperar. Hoje é dia de nada, embora queira por dentro TUDO.

Jaz em minhas costas, uma floresta que você nunca viu. Uma flor que você nunca cheirou. Plantas que nunca regou.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

DECLARAÇÃO LIVRE DOS DIREITOS DAS PESSOAS DESOBRIGADAS DA FELICIDADE CONSTANTE

DECLARAÇÃO LIVRE DOS DIREITOS DAS PESSOAS DESOBRIGADAS DA FELICIDADE CONSTANTE

I – Toda pessoa tem o direito de errar, mesmo que já tenham explicado a ela mil vezes o certo sem que ela tenha entendido, pois o tempo de compreender e aprender é de cada um.

II – Toda pessoa tem o direito de mudar de idéia, de se contradizer, de voltar atrás, de recomeçar, pois a melhor coisa da vida é mudar, principalmente nas coisas que a gente pensava serem imutáveis.

III – Toda pessoa tem o direito de chorar, de sentir dor, de soluçar e de ficar com ar melancólico, pois o riso, muitas vezes, é falso, enganador e insano.

IV – Toda pessoa tem o direito de fazer silêncio, de calar, de não responder, de ficar quieta e não sair tagarelando, pois no silêncio estão as melhores respostas.

V – Toda pessoa tem o direito de se cansar e de ficar doente, pois o corpo, muito mais sábio que a mente, não é de ferro e sabe sinalizar a hora de parar.

VI – Toda pessoa tem o direito de enraivecer, de xingar, de esmurrar as paredes, de jogar coisas no chão, de gritar. Pois, como disse aquele poeta, tem coisas que só o grito consegue dizer.

VII – Toda pessoa tem o direito de perder, pois só quem perde sabe o quão inesquecível e instrutiva pode ser uma derrota. ( Sobre isso, ouça esta canção. )

VIII – Toda pessoa tem o direito de se dar mal nos negócios, de não conseguir lidar com dinheiro, de não querer ser rico, pois quem tem muito normalmente esquece como é viver com pouco.

IX – Toda pessoa tem o direito de ter medo, pois o medo é um bom anjo da guarda.

X – Toda pessoa tem o direito de duvidar, de perder a fé e de achar que tudo vai dar errado, pois às vezes, tudo dá errado mesmo, e não é culpa de ninguém.

XI – Toda pessoa tem o direito de não saber, pois quem já sabe tudo perde o motivo de viver.

XII – Toda pessoa tem o direito de falar bobagem, pois nem sempre é legal ser inteligente.

XIII – Toda pessoa tem o direito de se esconder, pois todo refúgio é recuperador.

XIV – Toda pessoa tem o direito de se achar o camarada mais ferrado do mundo, pois o problema de cada um é o pior do mundo para cada um.

XV – Toda pessoa tem o direito de reclamar, pois externar o descontentamento ajuda a gente a pensar sobre ele.

XVI – Toda pessoa tem o direito de desperdiçar uma boa chance, pois mesmo as boas chances, muitas vezes, não chegam em boas horas.

XVII – Toda pessoa tem o direito de não ser feliz incondicionalmente o tempo todo, pois a infelicidade faz parte da vida. E é mais feliz quem sabe lidar com ela do que quem a ignora.

Observação:. Diante de tantos direitos, fica estabelecido para a pessoa o dever de preservar os outros de suas más fases, evitando o desrespeito, a agressão e a impertinência, pois precisaremos dos outros para comemorar conosco quando tudo passar.

domingo, 9 de agosto de 2009

Não pergunte "O que é isto" e sim "O que farei disso?"

Relatarei um pequeno sonho que tive, muito interessante, que andei refletindo-o esses dias...



O cenário não era tão importante, por este motivo, não me recordo muito bem dos detalhes do local. Apenas sei que estava na minha casa, não importa se era realmente a minha CASA, mas no instante do sonho, aquela eu chamava de casa. Estava sentada - não importa onde - até que, meu pai chegou do mercado, estava só, e largou um pacote imenso, tipo saco de batata, daqueles muito grandes! Eu não estranhei o tamanho do pacote, tudo me era chego normalmente. Abri o pacote e fui verificar o que ele havia trazido para mim de bom para COMER. Quando abri o saco, não compreendi o que havia ali dentro, por alguns segundos fiquei matutando em meio a pensamentos o que poderia ser aquilo. Era uma massa disforme, sem cheiro e nem cor. Quando minha mente por um breve momento intitulou aquilo como algo muito saboroso e suculento. Então, sorri, peguei um biscoito e mergulhei naquela massa disforme que havia no saco, e comi. Foi então que, notei que não era bem o que havia imaginado. E passei novamente por uns segundos tentando compreender o que seria aquilo. Foi então que gritei: Pai, O QUE é isto? E ele nada de me responder... Gritei ainda algumas vezes e não obtive resposta. Então, me assustei e aquilo me apavorou, minha mente logo intitulou aquilo como algo que não era lá muito BOM. Então, a COISA disforme, começou a se mexer e transformou-se num imenso MONSTRO cheio de MEMBROS que saia por ele. Ficou cada vez maior, e então sai correndo. E mesmo em meio ao desesperado e correndo contra aquele MONSTRO que até então minha mente havia o identificado, eu gritava perguntando: O QUE É ISTO, PAI? O QUE É ISTO? O QUE É ISTO? (...)





Este foi um sonho muito interessante. Porque a coisa, situações, pessoas, momentos, não são NADA, até que a mente dê um VALOR a ela. Até que a mente identifique por meio de seu próprio conhecimento do que já viveu, do que já foi aprendido. A mente como sobrevivência irá JULGAR os acontecimentos, pessoas, situações e momentos... Para que você esteja alerta.
Mas não é muito por ai que me chama a atenção, e antes que prossiga o pensamento, venha dizer que HOJE vejo que a palavra JULGAR, não é um ato de 'MATAR' o outro, ou qualquer outra coisa, 'ATIRAR' como se fosse um cego para as coisas e pessoas, mas sim, um mecanismo natural da mente. Não significa que AQUILO é real. Apenas é uma pré-concepção. Até que você tenha que passar pelo FATO, e realmente tirar uma conclusão verídica da situação.

O que mais me chamou atenção é o fato de que, enquanto a minha mente não havia identificado e julgado alguma coisa, a massa disforme, o que não tinha nome era algo sem sentido algum para mim, sem valor. Aquilo não me afetava de nenhuma forma. A partir do momento em que o JULGAMENTO entrou em VIGOR, eu passei a dar nomes e aquilo se transformou, tanto em algo BOM, como em algo RUIM.

Assim acontece na vida... O importante não é a pergunta: O QUE É ISSO? Não importa o que é... O importante é o que fará disso? Que forma você dará ao disforme?

sábado, 8 de agosto de 2009

Investigação



Agora nem privacidade eu tenho mais, estou a todo instante investigada pelo seu olhar.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Não retire o ladrar de um cão, o miado de um gato etc...



E isso, é algo bem característico né não?!

O ser humano tem um dom do "poder", um dom de querer "comandar" os demais, achando-se o rei da cocada preta! Porque ele tem o dom de dar valor as coisas, de defini-las, de lhe atribuir nomes. Sim, pois só o ser humano é capaz de pensar.

Por exemplo, de acordo com a vivência e experiência de cada pessoa, ela irá atribuir para sua vida, dando nomes as coisas, como: isso é chato, isso é ruim, isso me deixa feliz, aquilo não me atrai, aquilo me repugna, aquilo é apavorante!

Enquanto que, para outras pessoas, aquilo que é ruim, pode ser prazeroso para mim.



É bem mais complexo do que essa meio que SUPER RESUMIDA explicação.

Quando alguém conquista tudo o que queria, pode passar a viver de uma forma vazia, precisando testar sua vida constantemente, saber que ainda está vivo! Ativo! Porque aquilo que até então buscou arduamente já o conquistou, deparando-se com um vazio, muito parecido com uma sensação de estar morto, como um zumbi. Pois não há movimentação na sua vida.

Por sermos seres sensíveis, e imperfeitos, o que nos move, reflita bem. São nossas emoções. Retire isso, e você estará "morto".
São elas quem nos faz buscar, quem nos faz seguir, recuar, mudar de caminho, e estar sempre em ação. Querer a perfeição é quase que um pecado a si e ao mundo, é retirar aquilo que temos de mais natural e belo, é nos tirar o direito de viver.

Retire o ladrar de um cão, o rugido de um urso, o uivar de um lobo... A fotossíntese dos vegetais etc. ... E você, estará retirando o TUDO deste SER. Estará o matando e apenas satisfazendo sua necessidade em não saber lidar com o outro.

Fico as vezes, surpresa, quando as pessoas saem de casa, e se deparam com as folhas na calçada e logo dizem: QUE SUJEIRA!!!
Mas, espera ai! Este mundo é de quem afinal? É de todos. Todos tem o direito de vivenciar o outono e deixar as folhas caírem, essa é uma lei da natureza.

O que estamos tentando ser? Deuses? Perfeitos? Desculpe dizer, mas NUNCA seremos perfeitos. Não existe a perfeição. E talvez, precisamos aceitar isso. E quando digo aceitar, não é comodismo, não é sentar e deixar como está, nem concordar. É não lutar contra a própria natureza das coisas, a sua essência.

Mesmo numa família, há quem ladre, quem morda... E, muitas delas, continuam e prosseguem, porque não podemos ser assim, com os outros, e não somente com nossa família? "Porque está teremos que aturá-la mesmo assim?"
Porque não respeitar o ladrar do outro?



“Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro” (Clarice Lispector)

E, muito cuidado, muitas vezes, colocamos no outro expectativas de perfeição, que o outro se frustra, por nunca conseguir alcançar esse devido ideal particular. Aceite também. Quando você tiver vontade de "ladrar" e ninguém estiver "apto" a te "ouvir" você irá entender quando você também não está "apto" à "ouvir" os demais.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

UMUARAMA: ACADÊMICA LANÇA LIVRO ‘INTRA-UTERINO’




Gostaria de agradecer Janiele Delquiqui pela reportagem sobre meu livro no site da Unipar. Agradeço também Tereza Akil, que trabalha no site da Literis e que me proporcionou essa oportunidade.

Vocês podem estar acessando a matéria, pelo link: http://www.unipar.br/home/principal.php?pagina=20&desc=noticia&id=1220

Matéria sobre o Livro

Interessante que, se fosse a algum tempo atrás, quando comecei a escrita do livro, eu não faria nunca a sinopse dele, de uma forma mais concisa, porque no instante da escrita, tudo era uma mistura de mim, com o livro. Depois que finalizei, acredito que tenha o vista de uma forma mais distante e fria, talvez.

Por isso, a sinopse não possui nenhum tipo de poesia ou metáfora como o livro emprega.

Acredito que o escritor não deve ter nenhum tipo de expectativa de seus leitores, já que os olhos dos outros, são olhos dos outros! Cada um irá dar a sua identidade as mais inúmeras formas que ali aparecem.
Não há uma forma correta ou incorreta de se enxergar as coisas, apenas olhares diferentes.

Agradeço também, o pessoal que está lendo o livro!

Um grande abraço!

domingo, 2 de agosto de 2009

Chuva e frio



Tenho tantas leituras para realizar, minha estante tem a pilha de livros que leio ao mesmo tempo!!! Mas o clima de férias, me deixa com preguiça, e não consigo terminar nunca!

Então, resolvi aproveitar esse momento de uma forma sem que eu vá contra essa vontade maior! Rs...

Não tem muitas coisas a fazer quando o tempo só chove! Mas talvez o tempo peça reflexão, é bom também, mas chuva de mais não né?! Seria pirar de mais a cabeça! Então, vivo amuada na minha casa ou na casa de alguém.

É bom: chocolate quente, biscoitos, risadas, cobertores etc.

Ando escrevendo pouco...

Ando buscando mais bocas que falem por mim...

Por isso, ando ouvindo tanto música e assistindo tantos filmes!

É ótimo também.

Aceitar o seu momento e vivê-lo.

sábado, 1 de agosto de 2009

Cultura & Arte no Ilustrado

Vai ai, mais uma edição de domingo (02.08) do Jornal Ilustrado (página Cultura e Arte) organizado pelo Tiago Knoll.

As histórias mirabolantes de Stephen King: ou você odeia ou você ama! [por Caroline G. Gil]

Poema: O Zumbir Adestrado [por Caroline G.Gil]

Crônica: A Arte de Parar [por Tiago Knoll]


Para conferir, basta clicar na data da edição logo abaixo.
02.08.09

sexta-feira, 31 de julho de 2009

"Direitos iguais"




Às vezes, me sinto uma bola de ar ardente numa bola de ar fria. E embora ela tente num esforço sobre-humano me tornar fria, eu busco desesperadamente o ardor, uma luta inútil, pois nenhuma sai vitoriosa. Um gasto de energia em vão.

Não queria que os vínculos não fossem vias de mão única. Vínculo se constitui em via de mão dupla.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Eu sei!




Eu sei...

Eu sei...

Eu sei...


A vida não pára.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Depende...



Se olho de trás pra frente: sou menina.

Se olho de frente pra trás: sou mulher.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

VIII CICLO DE ESTUDOS: PSICOLOGIA EM DEBATE




Inicia agora no dia 29.07 o Ciclo de Estudos: Psicologia em Debate, tantos os estudantes como os profissionais, podem estar realizando suas inscrições até o dia 28.07.

Confira o Cronograma a baixo:

Dia 29.07

Às 19h às 20h40 : Abertura Oficial; Palestra: Psicologia Militar – Psic Marly Terezinha Perreli (CRP 08/04561)

Às 20h40’ às 21h: Intervalo.

Às 21h às 22h40’: Palestra: Psicologia Militar – Psic Rubens Marcondes Weber (CRP 08/04009).

Dia 30.07

Às 19h às 20h40 : Psicologia e Políticas Públicas – Psic Maria Sezeneide Cavalcante de Melo (CRP 08/03183).

Às 20h40’ às 21h: Intervalo.

Às 21h às 22h40’: Filme temático - discussão interdisciplinar.

Dia 31.07

Às 19h às 20h40 : Psicologia Ambiental – Psc Maria Otávia D' Almeida Santos (CRP 08/04191).

Às 20h40’ às 21h: Intervalo.

Às 21h às 22h40’: Filme temático - discussão interdisciplinar.

Dia 01.07

Às 8h às 9h30’: Psicologia do Esporte – Psic Marcia Walter ( CRP 08/9551).

Às 9h30’ às 10h: Intervalo.

Às 10h às 11h20: Encerramento.

LOCAL /HORA:
SALA DE VÍDEO CENTRAL – 19H.
INSCRIÇÕES: de 18/06/2009 a 28/07/2009
Coordenação do Curso de Psicologia.
Depósito Bancário: Agência: 0997
Conta corrente n.º 01798-3
VALOR: R$10,00 para estudantes
VALOR: R$15,00 para profissionais


Lembrando que as inscrições se referem aos certificados, portanto quem não realizá-las poderá assistir a semana, porém não irá receber o certificado.

sábado, 25 de julho de 2009

O Poder do Agora



Umuarama amanhece com 3°C hoje! Não consigo ficar muito tempo sem luva em tempos assim, sinto como se os meus olhos fossem minhas mãos, não posso ficar com os "olhos petrificados!" De maneira alguma!

Ando vivênciado uma fase interessante, com novas experimentações. Aprendendo a lidar mais com o tempo presente, e esquecendo um pouco as facetas dos pensamentos, pois eles adoram brincar. E o ser humano adora dár forma as coisas, ele se identifica com a forma. Mas, a alma, a essência é desfeita de forma alguma, ela é pura, e rica em um NADA e um TUDO.

Iniciei uma nova leitura "O poder do agora"...

Vejam que interessante. O vídeo que encontrei no Youtube a respeito, me chamou muito a atenção, é o que me fez comprar o livro.

Confiram as imagens pelo link:

O Poder do Agora

O escritor do livro é Eckhart Tolle. E que fique claro que ele "não está alinhado com qualquer religião particular ou tradição".

E vai uma letra da música do Lenine para fechar o post!



É o que me interessa - Lenine

Daqui desse momento
Do meu olhar pra fora
O mundo é só miragem
A sombra do futuro
A sobra do passado
A sombra é uma paisagem
Quem vai virar o jogo e transformar a perda
Em nossa recompensa
Quando eu olhar pro lado
Eu quero estar cercado só de quem me interessa

Às vezes é um instante
A tarde faz silêncio
O vento sopra a meu favor
Às vezes eu pressinto e é como uma saudade
De um tempo que ainda não passou
Por trás do seu sossego, atraso o meu relógio
Acalmo a minha pressa
Me dá sua palavra
Sussurre em meu ouvido
Só o que me interessa

A lógica do vento
O caos do pensamento
A paz na solidão
A órbita do tempo
A pausa do retrato
A voz da intuição
A curva do universo
A fórmula do acaso
O alcance da promessa
O salto do desejo
O agora e o infinito
Só o que me interessa"

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Cultura & Arte no Ilustrado

Bom dia galera, amanhecemos hoje com 5 °C em Umuarama!! Meus dedos quem o diga!! Sorte que o sol não deu moleza hoje, e está pairando no céu da cidade.

Mas, vamos falar de Cultura & Arte.

Segue a baixo mais um link da edição do último domingo.

Com notícias do Rock. "Não é Paraíso por acaso: Paraíso do Rock 2009 por Tiago "Lobão" Inforzato.

E uma crônica minha: No meio do caminho tinha um galho, nunca me esquecerei!

19.07.09

Confira neste domingo novas resenhas, crônicas e notícias!

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Aceitação de Quem Somos





É importante deixar claro, que aceitar, não é concordar. Isso mesmo. Quando nos aceitamos como somos, nossos comportamentos considerados "não saudáveis" tanto para nós, quanto para os outros, deixamos uma "briga", e passamos a sermos amigos de nós mesmos.

Quando passamos a perceber algo que antes nos era oculto, ou negado, temos a oportunidade de melhorá-la, e torná-la saudável. Portanto, não tema se olhar no espelho. É mais fácil lidar consigo quando se aprende a se aceitar, e a se amar, colocando-se no eixo das situações, e não deixando as situações tomarem o seu eixo, e perder o equilíbrio.

Quando tomamos posse de quem somos, quando nos apossamos de nós mesmos, não deixamos que a situação nos controle, ficamos mais despertos ao que nos está acontecendo.

Mas é preciso se aceitar, saber como você funciona, e assim, poder utilizar desta informação, vendo se estar assim é realmente saudável para si e para os outros. Caso não o seja, não fique com raiva, não se lamente por estar assim. O comportamento antigo era sinal de que de alguma forma ele lhe trazia vantagens, num passado. Mas que já não cabe mais carrega-las consigo, não há mais necessidade, e não teme deixá-las para tráz, achando que aquele comportamento era você. Aquele, era apenas UM dos comportamentos. E comportamento pode ser extinguido. Sua essência continua, não tenha receio.

Aceite-se, e verifique os parafusos de vez em quando.
Estou verificando os meus!

terça-feira, 21 de julho de 2009

Nada mais




Seja qual for o destino, nada mais me surpreende.

domingo, 19 de julho de 2009

Cultura & Arte no Ilustrado

Bom, a pouco tempo, Tiago "Lobão" Inforzato me convidou para participar da página Cultura & Arte do Jornal Ilustrado de Umuarama. Fiquei super feliz, e desde então, estamos ai compartilhando idéias super bacanas sobre o assunto.

Vocês podem conferir notícias, crônicas, reflexões e muito mais sobre arte e cultura no Jornal Ilustrado... Também com a participação de Nevilton.

Segue os links, a partir das edições do dia 21.06.09.

21.06.09
28.06.09
05.07.09
12.07.09

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Cuidado com o poço das significações!




Quantos de nós, buscamos o significado de tudo? Quantos de nós queremos dár nomes, para podermos compreender melhor as coisas? Necessidade de obter respostas completas, receitas absolutas?

É perigoso se infiltrar pelo poço dos significados, o mínimo que poderá encontrar, são tantas respostas, e tantas perguntas para a mesma resposta, que talvez possa se perder no meio dessas encruzilhadas. Sim, porque os pensamentos são poços sem fundo! O pensamento é uma arma muito interessante, se não soubermos utilizá-lo, ele irá trabalhar contra o nosso ser, e não à nosso favor.

"Agarre-se o mais rápido possível ao humano dentro de você" filme "O escafandro e a borboleta". Sim, pois é conosco que vamos viver até o último suspiro, de que adianta viver lutando contra a minha própria pessoa, pregando peças, me auto-sabotando, me rendendo a defesas inúteis, me maltratando, se é com ESTE MESMO SER, com ESTA PESSOA, que eu vou viver o RESTO DA MINHA VIDA?

De que adianta colocar-me em problemas, se quando voltar p/ casa e me fechar no quarto, eu quem terei que lidar com os problemas, pois eles continuaram lá, pois dizem respeito a minha pessoa.

Lute a favor de você. Não queira ver cabelo em ovo ! Já diz um velho ditado. Antes que isso acontece, faça as pazes consigo, reaja, ao invés de lamentar-se, estique as mangas e trabalhe à seu favor. Não espere manobras externas, não espere que os outros resolvem os seus problemas, porque isso é impossível, sendo que a chave e a raiz disso, está contigo.

Então, pise com muita sutileza pelos caminhos da significação das coisas. Você pode se espantar com inúmeros significados que irá descobrir, pois quando nos afundamos nos sentidos da vida, ou chegamos ao nada, ou há um tudo intenso. Cuidado ao chegar nas extremidades, pois elas são perigosas, e o objetivo delas é sempre lhe atrair para o buraco, não queira saber o que lá dentro tem, pois ali vive o infinito de possibilidades.


Não queira cortar-se da vida... Você é ser em potencial... Se cortar a arvore, nunca irá saber que altura ela poderia alcançar. Você já aniquilou todas as possibilidades que poderiam surgir. Espere, deixe acontecer.

E se você se achar no fundo do poço, acalme-se, parece sempre nunca haver saída. Mas há sempre mais portas do que imagina. Há sempre mais janelas do que possa imaginar.

Faça as pazes consigo.
Estou fazendo aqui também.

quinta-feira, 9 de julho de 2009




Estou muito simples hoje:

Quase não tenho o que dizer:

Se fosse contar o meu dia:

Não ia dár nem uma linha:

Mas ele foi tão completo:

Que eu quero escrever mais de uma linha:

Só para mostrar:

Que o dia valeu a pena:

Que a alma não é pequena.



As pessoas me contagiam de uma forma enigmática !!

terça-feira, 7 de julho de 2009





Tu te desdo-
bra
Te dês-
vira
Para se encai-
xar
Em uma peça
que não
existe

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Milk - A Voz da Igualdade




"A história de Harvey Milk, o primeiro gay assumido a ser eleito para um cargo público nos Estados Unidos. Dirigido por Gus Van Sant (Gênio Indomável) e com Sean Penn, Emile Hirsch, Josh Brolin, Diego Luna e James Franco no elenco. Vencedor de 2 Oscars".

Este filme, talvez cause um certo estranhamento, pois não estamos acostumados a viver com o diferente do outro. É mais fácil, mais cômodo, vivermos com alguém que concorde com as nossas idéias sempre. Mas esse tipo de vínculo não gera inovação, não evolui. O relacionamento seja ela qual for, se estagna.

Mas lidar com o divergente é complicado. Entrar em acordo com alguém que pensa diferente de nós, é extremamente árduo, mas a recompensa, é digna de uma grande salva de palmas. Sim, porque "cada um de nós compõe a sua história e cada ser carrega o dom de ser capaz, de ser feliz".

É importante lembrarmos que a DIFERENÇA é COMPLEMENTO, e não motivo de discórdia. Haverá sim, talvez, discussões, mas antes de tê-las, que haja RESPEITO. Pois quando há respeito, os limites não são ultrapassados, não invadimos o modo de ser do outro, mas lutamos para que o outro tenho o direito de poder sentir e pensar diferente.
Com o RESPEITO, não precisamos concordar com o que o outro nos diz, ou faça, mas iremos lutar para que ele tenha esse direito, de ser DIFERENTE.

O ser humano é mais diferente do que possamos imaginar. Cada um possui sua lógica de seguir a vida. Se eu tiro o direito do outro me ser diferente, eu estou tirando o meu direito também. Pois eu não sou igual a ninguém.

"é preciso chuva para florir... Todo mundo ama um dia, e todo mundo chora.. Um dia a gente chega, no outro vai embora"

A própria vida é diferente sempre. Pois a vida carrega o dom do COMPLEMENTO. A natureza não questiona, mas prossegui adiante, fazendo jus a sua natureza de SER.

Lutemos pelos direitos e deveres iguais! Liberdade!

domingo, 5 de julho de 2009

Matar ou morrer?



Tá.

Entendi.

Agora é a minha vez.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Ilusão x Realidade




Observe a gotinha de água que desliza sobre a folha.

As vezes a gente enxerga o reflexo da flor ali, e achamos que é a flor verdadeira. Mas, as vezes, temos tanta certeza disso, e quando vemos a flor imensa e real, muito mais a cima do que imaginávamos, ficamos atônitos. Causa um pavor danado. O que eu vivi era o que? Era o quê, o que eu vivi? Vivi do que era? Ou a gota só era porque eu deixei ela ser?

Sei lá.

Só sei que quando acontece isso, ou me sinto grandiosa, por ao menos ter descoberto a verdade, ou minúscula, por desconfiar que a própria flor real, pode também não ser a verdadeira.

sábado, 27 de junho de 2009

O despertar




Escrevi um texto faz algum tempo, o qual possui a frase "Desperte o seu sorriso". Hoje andei refletindo sobre ela, e percebi o quanto nós precisamos ser DESPERTOS, DESPERTAR e sermos DESPERTADOS! É um conjunto recíproco, que advém não somente da vontade de quem quer ser desperto, do percebido, mas como dá iniciativa de quem quer despertar, o PERCEBEDOR.
Há muitas pessoas que não sabem o valor o qual essa palavra possui, como se ela se tornasse banal já, passando-se por um sedutor, e todo sedutor não entrega as cartas de uma vez, ele as esconde, pois se faz, por meio das idealizações que os outros fazem dele. O que deixa de ser uma imagem verdadeira.
Há quem seja como beija-flores, espalhando vários despertares pelos ares... Mas não os alimentando...Há então, meia duzia de flores murchas...
Pensando mais sobre a palavra despertar... De acordo com o dicionário:
1. Acordar.
2. Atiçar; provocar.
3. Dar origem a.

Antes de despertar o outro, é importante saber se você já se despertou.

Chego a conclusão, de que, assim como tudo na vida... Tudo é preciso ser despertado. Porque tudo em nós é como se estivesse dormindo, até os mais simples sentidos ou simples reflexões, que deixamos de fazê-los, estão dormindo... É preciso atiça-las... Alimentá-las sempre. Assim que se faz o cativar... E com toda a verdade e sinceridade deste despertar, só há um caminho a se chegar... A vitória, com certeza.
Boa sorte com o seu despertar, permita-se também despertar-se pelo mundo, pelos outros, por si mesmo.

Bom despertar !!

domingo, 21 de junho de 2009




Não vivi o restante do dia, para poder escrever aqui. Mas gostaria de iniciar com o dia. Como que caminhando ao passo que ele mesmo caminha para dar continuidade. Andando ao lado dele, na mesma velocidade. Isso parece um pouco ousado, já que, a natureza possui por si só, uma visibilidade e intuição que nem se compara com a minha percepção de mundo.
Resolvi escrever então, tudo aquilo que me é presente. O que tenho de mais propriedade agora, que posso escrever, são sensações, porque meu dia não se realizou ainda. Minhas sensações se resumem que, sinto um desconforto na coluna, perto dos ombros, talvez uma tensão muscular. Poder ser. Se circulo o pescoço, ele estrala como se nunca o tivesse feito antes.
Acordei bem e tranqüila, embora tarde, pois não aprecio acordar depois das 10 horas. Isso me causa uma enxaqueca irreversível, praticamente. Porém, não olhei no relógio quando acordei, mas acredito que tenha sido depois das 10 hrs AM, já que possuo esse desconforto nos ombros e na nuca. É como uma sopa que ficou muito tempo no fogo, eu fico depois passada !
Tirando isso, não sinto muita vontade de experimentar o dia lá fora hoje, não tenho interesse, embora quando escrevo assim, me esfria a barriga de curiosidade para saber como seria o dia caso o tocasse. Mas, como isso, aposto que não irá ocorrer, ficarei apenas de passageiro por hoje.
Não há grandes filmes na televisão hoje, ainda não me troquei, estou como quem ainda nem iniciou o dia. Mas daqui a pouco irei me trocar, e deixar que o dia venha até mim.
Domingo é sempre um dia que não se sabe o que se faz com ele, ou nos sentimos excluidos, porque não é nem dia da semana, e nem fim de semana, não dá para dár uma festa num domingo, sendo que na segunda se acorda cedo, não dá para trabalhar no domingo, já que o trabalho se inicia na segunda. Por isso o domingo fica indefinido, e a indefinição das coisas mata a gente. Precisamos dai, atribuir-lhe algum valor, algum nome, nos sentimos mais confortáveis, mais seguros e estáveis.
Veremos o que será o domingo.

Bom domingo!

domingo, 7 de junho de 2009




"Não adianta ser bonzinho. É preciso ser JUSTO"

Uma das frases que andam permeando meus pensamentos. Existem pessoas, apesar de suas devidas peculiaridades, que não conseguem desfazer-se do "ser bom". Acreditando que ser assim é a forma mais correta de se viver a vida. Mas ai, é que nos equivocamos nossos conceitos. De que adianta ser bom? E quando eu digo esta característica, estou falando de pessoas que deixam se excluir mediante situações os quais outras pessoas prevalecem "por cima". Acredito que, a situação não implica em você se sentir por baixo ou por cima da situação, implica em rever o que lhe é bom e saúdavel, não somente calar-se e deixar. A comparação gera conflitos, pois a partir do momento em que eu me comparo, eu já estou de alguma forma, colocando-me numa categoria, e nós somos mais do que a soma das partes.

O conflito se inicia onde me igualar ao outro, parece ao meu ver, ser superior ao outro. Onde, colocar minhas idéias e pensamentos, seja excluir o outro. Então, se pensa, que deve-se ouvir e aceitar.

Não.

Todos possuem direitos e deveres iguais, assim somos chamados cidadãos. Não sou melhor, nem pior do que ninguém, o que nos diferencia é o fato de um possuir um entendimento melhor no assunto, pela sua maior dedicação do mesmo. E assim, é que nos fazemos partilha. Nos diferenciamos pois é claro, possuimos diferentes experimentações de vida, e que também podemos compartilhar.

Não renegue suas vontades, acreditando que se expor é ser isso ou aquilo. Também vou tentar por esses lados, não deixar a comparação prevalecer.

Pois, o importante, não é ser bonzinho, e sim, justo!

quinta-feira, 28 de maio de 2009




Será que o tudo que vemos é uma parcela do que o tudo seria?
Ou enxergamos o tudo e a parcela esquecemos nos bolsos de alguma calça qualquer?
Ou tudo o que contemplamos é somente nós mesmos refletidos em águas?

domingo, 17 de maio de 2009

Metade Anjo metade o que?






Salto de ribanceira a ribanceira

Sou cachoeira, corredeira, ladeira

Vivo desabando, correndo, tremendo

Estou sempre em queda livre

Sempre a margem de mim

Com o coração berrando a todo instante

Em cada parte inclinada a mim mesma

Por isso sempre sem ritmo, nuança...

Pois um grito é sempre desafinado

Sempre desesperado, arruinado, falido

Por estar caindo:

Sempre golpeada, ferida, destroçada

Mas, embora rasgada, mordida, dilacerada

Não deixo essa natureza de cair

De saltar de precipício a precipício...

Pois é isso que os anjos fazem:

Saltam de nuvem e nuvem


Poesia by Caroline G.Gil


Obrigada por dizer que engordei e que estou fora de forma
Obrigada, por falar da sua Ex a toda hora
Obrigada por olhar pra outras com aquela cara de cão
Obrigada por você gozar primeiro e me deixar na mão

Obrigada por você calar meu grito e rasgar meu poema
Obrigada mas agora dá o fora e vai saindo de cena
Obrigada, meu benzinho, mas já era agora senta e chora
Obrigada pela oportunidade de te ver indo embora

THANK YOU VERY MUCH
MERCI BEAUCOUP
BYE BYE AND FUCK YOU.

(Obrigada - Ruanitas)

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Sol



"O Sol (do latim Sol) é a estrela central do nosso sistema planetário solar. Atualmente, sabe-se que em torno dele gravitam pelo menos oito planetas, quatro planetas anões, 1.600 asteróides, 138 satélites e um grande número de cometas." Não é atoa, que existem até teorias de inícios da religião baseado neste grande astro: o sol. O dia está frio, mas o sol está vibrante no céu (15-05-09 às 10:00 AM). Está noite dormi lendo o livro "Divã" da Martha Medeiros. A cada leitura, uma surpresa !! Adoro as escritas desta mulher, ela consegue ser quase que hermafrodita! Capita os sentimentos tanto masculinos quanto femininos, é perfeito. Além de descrever os pensamentos que muitos temos em diversas situações. É magnífico, quem ainda não leu, aqui vai uma indicação. E o livro fala sobre MUDANÇAS. O quanto as vezes estamos numa situação de um aparente CONFORTO MAIS OU MENOS... Uma vida MAIS OU MENOS, um marido MAIS OU MENOS, amizades MAIS OU MENOS... O quanto nos é cômodo, viver em algunas circunstancias, e deixar por aquilo mesmo. O enfrentamento nos causa um arrepio na espinha, mudar aquilo é como amputar uma perna, uma terceira perna, porque nós já temos 2 pernas o suficiênte para caminharmos. Mas a retirada dessa terceira perna, nos fará uma falta, de como se matasse um ente querido, porque essa perna é uma extensão do nosso comodismo, da nossa falha, falta de coragem. E também é claro, deve-se levar em consideração de cada pessoa, a sua peculiaridade, os seus problemas particulares que levaram ela a estár em dividas situações, mas quando eu digo nesse texto, simplifico de certa forma até coletiva, para que fique de mais fácil compreensão... Quantos de nós não vivemos vidas cômodas, mediante a própria luta da vida? Por que você desistiu de viver por si? O que lhe acua mediante a luta da vida? O que lhe faz recuar? Você vive a sua própria vida ou deixa os outros viveram por ti? O seu respirar se confunde com alguma coisa? Por que você deu gratuitamente sua vida?
Sim, eu já entreguei gratuitamente minha vida. É como se eu tivesse ficado desesperada na esquina, dando para qualquer ALGO, qualquer ALGUÉM, está coisa que sozinha, parece que não consigo levar adiante. É preciso CORAGEM para aceitar nossas limitações, o primeiro passo é aceitá-las. Negar e resistir, é ir contra a sua natureza. Quanto mais se resiste, mas tudo persiste. Quando falo isso, quero dizer que deve-se ir de encontro com seu medo, não enfrentar um perigo absurdo, tipo: ficar andando de madrugada pela pior rua da cidade. Eu digo, seu mais íntimo medo, aquele que te faz travar mediante situações da vida. Entre neste medo, e verá que ele não existe de certa forma. É como entrar no escuro, e morrer de medo do escuro. De primeiro momento, você irá ter um escandalo, ou irá ficar tremendo quieto, todo assustado... Com o tempo irá perceber que suas pupilas irão se dilatar, e aquilo que até então você não via, começa a enxergar. Abre os olhos, eu também tentarei abrir os meus.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

porta-bandeira de si mesmo





A chuva veio ontem por volta das 22 hrs. O céu nesse dia amanhaceu tranquilo, nem sinal de surpresas, embora estivesse muito abafado, sem vestígios de ar pelo espaço e ambiente. Minha empregada disse que havia visto na televisão no outro dia a respeito de um vendaval que iria dár aqui perto do Paraná. E quando disse isso, replicou "querem dár uma de Deus", e saiu continuando a passar pano pelo chão da cozinha. Na hora eu sorri de leve, mas por dentro fiquei sorrindo por horas. Imaginei que ciências e um pouco de lógica, nada tinha a ver com crenças, ao menos sobre o clima, era possível já determinarmos alguma coisa, seriam possibilidades e hipóteses, que de acordo com estudos metereológicos, podemos nos proteger antes. E, tudo o que é bom para nos protegermos antes, é útil e vale a pena, a chamada prevenção. Mas sentir um pouco da chuva, enquanto corria e subia as escadas da igreja, só para ficar num lugar em que a chuva não me assolasse, foi bom também. O chão estava escorregadio, nesse período é dobrado a atenção. Mas nossos pensamentos tendem a devaneios, a divagar pelos lados de nossa mente que até então estavam já guardados em caixas, soterrados. Não que eu pensei coisas ruins, mas me fez refletir, me parece que a chuva ao menos em mim, causa isso, uma deliberação profundo a respeito da minha vida e as circunstâncias em que me encontro no momento. Havia alguns casais namorando perto da igreja, alguns abraçados, outros nos beijos e carícias, muito ternas por sinal. Olhei de ímpeto com inveja, mas logo me desfez essa inveja, por saber no sufoco que poderia estár se encontrando aquela garota nos braços daquele menino. Sim, esses ombros largos e fortes, robustos, magro, mas os ombros nos passam uma segurança tremenda, é como estár numa casa contra a chuva, raios e trovões. Mas, de que adianta, caso o raio vá nele, ele morre e fiquemos só. Ah sim, o sufoco. Então, imaginarmos esse abrigo, é lindo. Essa sensação de abrigo é maravilhosa, até se tornar um casulo caustrofóbico, que pode se transformar numa segurança ao contrário... parecendo areia movediça, quando mais nos afundamos mais estamos submetidos a essa força circunstâncial, e menos protegidos estamos, apesar de acharmos no instante, que estamos totalmente IMORTAIS. Sim, porque dá-se a impressão de que nunca iremos morrer. Dessa sensação que eu falo, dessa falsa impressão. É claro, tê-la é um incentivador, uma expectativa boa, para se manter próximo a alguém... Mas imaginemos que só seja essa sensação a coisa boa da relação e mais nada importa. Tu faz o outro de escora e de mola, assim como quando tu cai lá no poço essa pessoa vem e te empurra para cima. Isso desencadeia algo vicioso, e é difícil sair... Quando você percebe isso, já é um passo adiante. Nisso, desisti, a inveja foi-se embora, e a vontade de estár só, falou mais alto. A vontade de primeiro lidar melhor comigo, me transformar porta bandeira do meu mundo, e depois, conseguir compartilhar a minha força, e não minhas fraquezas momentâneas, com alguém. Já existe até um ditado.. "procuramos sarna para se coçar", pois é !!
Seja porta-bandeira de si mesmo também, estamos na luta, todos!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Quem eu deveria ser?




Eu sou um labirinto
Você atinge até onde quiser
O fim varia dependendo
Da sua vontade em persistir
Em prosseguir...

Existem vários caminhos
Por onde você pode me achar
Dependendo do que você crê

Eu sou uma casa de espelhos
Uma fábrica de remendos
Você pode se descobrir
Tentando me encontrar

Só não desista de mim
Não fique ai sereno
No meio dessa ponte
Do meu eu e do teu

Mas só irá atravessar...
Depende muito do que acredita
Sua visão de mundo
Pode me incluir ou me excluir
Do seu...

Eu estou sendo o que acredito
Eu sou o que memorizo
Como um disco rígido
Apagar tudo
É como recomeçar minha condição humana...

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Arrumando a bolsa...



"Nós é quem escolhemos o que guardar na bolsa; escolha bem para colocar o que queira lembrar com maior facilidade".
Escrevi essa frase em uma noite após ter desenhado uma bolsa em meu caderno de desenho, e fiquei pensando sobre isso... O quanto as vezes colocamos coisas fúteis, ou mesmo coisas que nos fazem mal. Juntamos tantas "tranqueiras" nessa chamada "bolsa", que quando notamos, já estamos lotadas, cheias de pensamentos ruins, e lembranças ruins e acabamos sofrendo. Resgatando sempre o lado ruim das circunstâncias e as guardando. Ontem uma amiga me disse uma palavra interessante... Da mesma forma em que nos permitimos viver a vida, nos arriscar... Deveriamos também "não nos permitir" arruinarmos, deixar que alguém nos faça algum mal, ou que nos cause uma sensação ruim... E, quando percebemos realmente, já nos deixamos levar por aquela onda magnética de vibrações ruins.
Ontem dei um primeiro passo para "não me permitir" deixar sofrer. E olhar sempre para o futuro como uma possibilidade, uma oportunidade que eu não devo perder, nem um segundo.
"Não se permita" também.

domingo, 10 de maio de 2009

Um pouco de mim, por eu mesma...

Bom, comecei a escrever aqui, acho interessante quando as pessoas escrevem de si mesmas.... Mas, hoje, em particular, eu não tenho muita coisa para dizer, ou talvez, teria muitos verbos para conjugar! Eu geralmente penso em mais de uma coisa ao mesmo tempo, meus pensamentos são como várias andorinhas que mergulham em meio ao céu, por hora atrevidos e instigantes... Ás vezes, tocantes... Superficiais. Passamos a maior parte da vida, vivendo dentro de nossas cabeças do que fora dela. E eu, perdi muito tempo. Quero tocar a pele da vida, e eu não deixo de ser poética e metafórica. Essa é a lingua que eu falo, é o meu ABC... Algumas pessoas se apaixonam por ele, outras odeiam ! Mas, tem gente para tudo ! Essa semana que está por vir, será uma reviravolta, com certeza...